Pé Diabético

Fotografia de pé diabético com sintomas na pele

O pé diabético é uma patologia que surge como consequência da diabetes. O retrato da doença em Portugal é pouco animador: de acordo com diferentes investigações, é o segundo país da União Europeia com maior prevalência (13,6%), o que se traduz num total de 2,7 milhões de portugueses com diabetes ou em risco de desenvolver a doença.

O que é o pé diabético?

De acordo com a Sociedade Portuguesa de Cirurgia, esta patologia resulta de um conjunto de complicações neurológicas, vasculares e infecciosas que se associam e se influenciam mutuamente, que se manifestam nos pés de pessoas diabéticas. Ocorrem devido à hiperglicemia recorrente própria da diabetes, pelo que a prevenção destas complicações passa por um controlo o mais apertado possível da glicémia. Acresce que a cicatrização demorada de lesões, que também afeta as pessoas diabéticas, pode resultar em infeções, o que pode potenciar o risco de amputação.

Por isso, o acompanhamento especializado regular e os cuidados preventivos são fundamentais para que lesões como cortes, bolhas, unhas encravadas e calosidades não se desenvolvam e se tornem potenciais complicações. Se ocorrerem, não devem ser ignoradas e devem motivar uma consulta de podologia com urgência.

 

Quais os sintomas do pé diabético?

É possível identificar o pé diabético através de vários sintomas, que devem motivar a marcação de uma consulta com o podologista. Conheça os principais sintomas:

– Lesões com cicatrização demorada no pé (arteriopatia)

– Pus nas feridas no pé

– Menor sensibilidade no pé (neuropatia)

– Deformação no pé

– Inchaço no pé

– Pele do pé mais grossa

– Cheiro intenso e anómalo no pé

– Dor ou dormência constantes no pé

– Temperatura alterada na pele do pé

 

Como tratar?

Cada caso é um caso, e o tratamento das complicações do pé diabético deve ser determinado por um profissional. Se desconfia que poderá sofrer de alguma complicação nos pés em resultado da Diabetes, marque já uma consulta.

 

Como prevenir?

O pé diabético decorre da diabetes, mas é possível prevenir as suas complicações. Para tal, deverá:

– Observar os pés diariamente. Caso seja necessário, utilize um espelho.

– Lavar diariamente os pés: medir a temperatura da água com a mão e, após a lavagem, secar muito bem.

– Utilizar diariamente um creme hidratante, exceto entre os dedos porque potencia a humidade.

– Estar atento à perda de sensibilidade porque pode esconder complicações de que o doente não se apercebe – a melhor solução é o acompanhamento regular por um podologista.

– Usar mais de um par de meias em vez de recorrer a cobertores elétricos, botijas de água quente ou outra fonte de aquecimento, no caso de ter os pés frios.

– Optar por limar as unhas em linha reta com uma lima de cartão, ao invés de as cortar.

– Os calos devem ser tratados, apenas e só por profissionais habilitados para tal.

– Evitar andar descalço ou usar sapatos sem meias.

– Mudar de meias diariamente, preferindo meias sem costuras ou elásticos, tecidos como algodão ou lã e cores claras.

– Usar sempre calçado adequado – o calçado inadequado é a principal causa de ferida no pé diabético.

– Controlar os índices glicémicos e a alimentação.

– Não fumar.

– Fazer exercício físico regularmente.

 

Se é diabético, marque a sua consulta e confie na equipa Doutorpé para o necessário acompanhamento regular.

Sente que os seus pés merecem melhor?

Faça agora a sua marcação!